sábado, 25 de abril de 2015

Escutar o marulhar do silêncio


Poesia visual de Chema Madoz. Foto tirada daqui.

"Sem dúvida, a poesia é feita de palavras enlaçadas que lançam reflexos, cintilações e cambiantes: o que nos mostra são realidades ou espelhismos? Rimbaud disse: Et j´ai vu quelquefois ce que l´homme a cru voir. Fusão de ver e crer. Na conjunção destas duas palavras está o segredo da poesia e dos seus testemunhos: aquilo que o poema nos mostra não o vemos com os nossos olhos de carne, mas com os do espírito. A poesia faz-nos tocar o impalpável e escutar a maré do silêncio cobrindo uma paisagem devastada pela insónia. O testemunho poético revela-nos outro mundo dentro deste mundo, o mundo outro que é este mundo."

Octavio Paz, in A Chama Dupla - amor e erotismo 
(Assírio & Alvim, 1995)


8 comentários:

  1. Gosto de poesia. De vez em quando, nem sempre. É um jogo de palavras e precisa de concentração para se sentir.
    A prosa é mais acessível e pode ser muito poética, na minha opinião.
    Bjo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gosto de poesia a qualquer hora do dia :) Mas a prosa pode ter também muita poesia, tal como a música, a filosofia, a pintura, a dança, a arquitetura... até a vida - basta que as olhemos com os olhos do espírito :)
      Bjs

      Eliminar
  2. A poesia para mim é um olhar para dentro, um sentir que partilhamos e que esperamos que quem lê o sinta também.
    Adorei o trabalho de Chema Madoz, uma outra forma de poesia, a visual.

    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fê, é isso mesmo. O que é interessante na poesia ou na prosa poética é que o leitor, na maioria dos casos, retira do texto um sentido completamente diferente daquele que foi inicialmente pensado pelo escritor. E é exatamente este "complemento" que dá riqueza à poesia, isto é, o que os "olhos de espírito" de cada leitor adicionam ao texto :)
      Beijinho

      Eliminar
  3. Que lindo.... :) Bom fim de semana e obrigada pela partilha!
    Boas leituras! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É a fusão entre o que se viu e o que se crê ter visto que compõe a essência da literatura. É bonito...
      Beijinho e bom fim de semana

      Eliminar
  4. Tem ondas o silêncio.
    E marés de gente
    Em infinitos e lugares...
    Todos, ou quase todos,
    Em "passagens" de poesia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que versos tão bonitos picotados de poesia!
      George Sand, eu acrescentaria que há quem tenha ondas de sensibilidade e marés de talento...
      Um beijinho e obrigada pelo seu comentário lindíssimo

      Eliminar